Imprimir

O amor que sinto pelas motos off-road veio desde o nascimento, meu pai fazia trilhas e corria alguns enduros FIM na região. Minha mãe fala que com menos de um aninho eles me colocavam em cima da moto e meu sorriso era instantâneo e a mãozinha ficava acelerando. Quando eu tinha de quatro para cinco anos, meu pai me deu uma motinha (Brandy 50cc). Eu não sabia andar de bicicleta e aprendi a andar de moto, ele me ajudava muito e corria atrás o tempo todo. Com o passar do tempo, fui com ele para a trilha e enquanto minha gasolina não acabava eu não descia da moto.

Quando eu tinha dez anos, fui presenteado pelo meu pai com uma Dt 180 porque eu estava grande para aquela motinha e comecei a me soltar, tentar aplicar técnicas para melhorar a pilotagem nas trilhas. Mas sempre a moto quebrava e dificilmente eu chegava em casa com rodando.

Aos 13 anos, em 2007, ganhei uma CRF 230 e 15 dias depois fui para minha primeira corrida, uma prova de enduro FIM realizada na minha cidade (Guariba-SP). Fui bem, apesar do nervoso e dos tombos, e acabei em terceiro na Nacional Júnior. A partir daí gostei das provas de enduro FIM e fiz mais duas etapas do Regional naquele mesmo ano. Em 2008, eu e meu pai começamos a fazer o campeonato todo e não parei mais, ganhei o Regional na categoria Nacional Júnior e, no ano seguinte, venci o campeonato na Nacional Pró. 

Em 2010, mais um sonho realizado: meu pai apareceu com uma YZF 250, minha primeira moto importada (especial). Por ter comprado a moto, a gente não fez nenhum campeonato naquele ano, só uma prova ou outra, mas todo final de semana ia para a trilha, treinava e curtia muito. No final do ano, fui convidado pelo Dimas Silva (Cavalo), que tinha uma forte equipe de enduro (Os Aloprados), a participar da última etapa da Copa Pacato (hoje Copa EFX). Fui muito bem, venci a Importada Iniciante e fiquei em quinto na classificação geral. Na primeira especial valendo do dia, fui o terceiro na geral, ficando a apenas três segundos do Felipe Zanol, que foi o primeiro. Foi muito importante para eu ver que eu podia começar a "treinar de acordo" para disputar com os melhores.

No próximo ano (2011), Dimas me chamou para fazer o campeonato todo da Copa Pacato como piloto da equipe e eu aceitei. Foi um ano muito bom, de muita evolução, quando fui campeão paulista na categoria E2 e vice-campeão da E2 e quinto na geral da Copa Pacato. Tive uma belíssima disputa na categoria, ponto a ponto com o Rômulo Bottrel, e chegamos na final na situação de quem vencesse levava o campeonato. Ele me superou por poucos segundos. 

Subi para a categoria Elite em 2012 e fui evoluindo, tentando melhorar sempre, com mais treinos e a inclusão de trabalhos físicos na rotina, Finalizei o ano com o quarto lugar na Elite e na geral. Comecei o ano de 2013 "pilhado" a disputar o titulo da Copa Pacato, na primeira prova tive um problema mecânico e na segunda, acabei caindo e quebrando o pulso. Fiquei de gesso por dois meses e acabei desistindo da Copa Pacato e focando no Campeonato Paulista, no qual tinha começado o ano com mais sorte, apesar da fratura e de ficar fora de duas provas. Mesmo assim, consegui os títulos paulistas na Elite e na Geral.

Acertei com a equipe KR ( Kavookavala Racing ) no final de 2013 e, em 2014, participei da etapa do Campeonato Mundial de Super Enduro em Belo Horizonte. Fui o vice-campeão da etapa na categoria Júnior e fiz todo o campeonato da Copa São Paulo de Enduro FIM, no qual venci a categoria e a geral.

Recebi uma ligação no final de 2014 que me deixou feliz demais, já que era um sonho para mim. Nielsen Bueno me ligou falando que a Sacramento KTM iria montar uma equipe de enduro e que ele seria o chefe, e me perguntou se eu tinha interesse de ser um integrante. Fui conversar com o "chefão" Fábio Campos e acertamos para a temporada em disputar o Campeonato Brasileiro e a Copa EFX. Foi a realização de um sonho e meu primeiro Campeonato Brasileiro começou bem, venci algumas etapas e fiz uma bela prova na etapa de Nova Lima-MG, no Desafio Fast Brothers, onde venci a Geral e a categoria na somatória dos dias.

Naquele momento veio a total satisfação e o prazer em vencer uma etapa de Brasileiro, já que até este momento vinha bem e liderando a Copa EFX e em segundo no Brasileiro. Na próxima etapa do campeonato nacional, acabei caindo e rompendo os ligamentos do joelho esquerdo, foi a minha lesão mais complicada e tive que passar por cirurgia. Decidi operar depois da final e tentar andar machucado para salvar o título da EFX, mas não consegui e acabei com o vice na categoria Júnior, empatado em pontos, mas com desvantagem no critério de desempate. Fui vice no Brasileiro também na categoria Júnior.

Em 2016, novamente pela equipe da Sacramento KTM, acabei de me tornar o campeão do CACC ( Copa Adrenatrilha de Cross Country ) na categoria XC2 e na geral. Além disso, estou na briga direta pelos títulos da Copa EFX e do Brasileiro na categoria Júnior. Agradeço os meus patrocinadores (Sacramento Racing, Shopping SerrAzul, Pirelli, Alpinestars, Motul, Bell, Dafra, Edgers Racing, 100%, Start Racing e Luiz Racing) por todo o apoio. E também agradeço a todos do site Moto Off-Road pelo espaço de contar a minha trajetória no esporte.

Sobre a Sacramento MotorSports – A Sacramento MotorSports traz os melhores equipamentos e produtos para quem encara a trilha ou a estrada como estilo de vida. O conceito da marca foi criado em fevereiro de 2008 pelo empresário e piloto Fábio Wolf Campos, após uma viagem que teve no roteiro a cidade de Sacramento, na Califórnia.

Influenciado pela cena do motociclismo nos Estados Unidos, Campos inaugurou um restaurante e uma boutique temáticos no Shopping SerrAzul, do qual é administrador desde 1994. O local, construído sobre a Rodovia dos Bandeirantes, em Itupeva (SP), é o único shopping aéreo do mundo e logo tornou-se um dos principais pontos de encontro de motociclistas do Brasil, além de sediar renomadas competições off-road. 

De lá para cá, com restaurante e boutique ampliados, a Sacramento MotorSports ganhou força com a inauguração das concessionárias KTM Sacramento em Curitiba (PR), uma das quatro revendas “FlagShip” da marca austríaca de motocicletas no país, e Polaris Sacramento, com os UTVs e quadriciclos norte-americanos na loja do Shopping SerrAzul. A Sacramento ainda expandiu no modelo híbrido franchising, com sua primeira unidade no Outlet Premium Brasília. 

A empresa ainda incentiva o esporte por meio da equipe Sacramento Racing, criada em 2013 e hoje chefiada pelo piloto e multicampeão off-road Nielsen Bueno. Para saber mais sobre a Sacramento MotorSports, acesse o site oficial: www.sacramentobr.com.br

Confira algumas fotos de Vinicius Calafati em ação:

Fotos: Janjão Santiago